quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Os modelos 2008 da Mondraker MR

MR105 MR101
Aqui estão os modelos de 2008 da Mondraker MR , o quadro é o mesmo mas uma grande diferença para o modelo 2007 da MR101 foi os travões, deixaram os fraquinhos e básicos Hayes Sole para os Avid Juicy 3 e os pneus passaram a ser os Kenda Klaw XT 26X1.95 que substituíram os IRC Serac 26X1.95 que até gosto deles.
Qual quer semelhança entre estas duas bicicletas será pura coincidência. Ou não??
Mas a Mondraker não é a única com um modelo semelhante à da Titus, à por aí outros casos, por isso, penso é que deve ser um design muito bom!

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Estás bem posicionado na bicicleta?


Todos nós temos a bicicleta afinada de acordo com o nosso gosto.
Mas será que está bem afinada?
A altura do selim, o seu ângulo, a altura do guiador está preparada para o conforto ou para o rendimento?


Se até os atletas fazem esta análise, provavelmente deveríamos tomar mais atenção a este assunto!


Neste video, como lhes interessa vender o serviço, apoiam-se muito no software, no entanto quem quiser saber mais alguma coisa sem ter que recorrer a estes serviços podem ver aqui alguns videos ou ir ao site do Peter Jon White, ou este site que tem um calculador de medidas. Aqui fica a opinião do Keith Bontrager.
Se virem mais alguma informação interessante, partilhem!
Está aqui uma boa oportunidade para os que têm uma loja ou alguma licenciatura em educação física ou biomecânica...

Porquê roda 29!

Este tema no www.forumbtt.net

Why Ride A 29″er?

February 24th, 2008 by Guitar Ted

This might seem like an odd question for this site and especially in 2008 when it would seem that a 29″er is an “obvious” option for any mountain biker these days. I would submit to you that if you are already on board with the 29″er as a bike for off road, this might seem as if it is the case, but there are a lot of folks still looking at 29″ers for the first time. To those who are new to the idea of a 29″er, I paraphrase a popular adult beverage tag line: This post is for you.

The most commonly heard attribute of 29″ers is their ability to roll over trail obstacles with less drama than smaller wheels do. While this is certainly true, it is far from the only thing going on with 29 inch wheels. Here I will briefly lay out the advantages for those who are curious.

Better Roll Over: Okay, lets get this out of the way right off the bat. 29″ers have a different “angle of attack” in relation to trail obstacles you might encounter. This realizes itself to riders as a smoother feel. Sometimes it negates the need for front suspension for some trail riders, thus the plethora of rigid front forks on big wheelers. It is also interesting to note that what is good for the front wheel is also good for the rear wheel.

Better Traction: 29″ers, by the nature of the diameter of the wheel, have a differently shaped contact patch than 26″ers do. (Some would argue that it is a bigger contact patch) However it really is, it is obvious that a 29″er has an ability to claw it’s way up steeps and technical climbs that smaller diameter wheels can not match. This is aided by the following attribute…………

Better Momentum Conservation: One of the oft overlooked characteristics of 29 inch wheels is their propensity for carrying momentum better than smaller wheel sizes do. This helps in clearing climbs, but it also causes 29″ers to be a bit tougher to get going from a slow speed, or stopped situation. If a 29″er rider can learn to work with the momentum factor of 29″ers, it can become one of your greater allies. Less braking is necessary due to the stability and better traction of 29 inch wheels. So if you can learn to trust that, the momentum saved can be a big benefit. Smaller wheels tend to not have any of these traits in the amount that 29″ers do, so using momentum with smaller wheel sizes doesn’t work nearly as well.

Gyroscopic Effect While this is very closely related to the above mentioned benefit, I broke it out because this is the one thing that makes 29″ers seem so “safe” when downhilling, or while attacking technical terrain. A 29 inch wheel by its very nature will want to stay upright better than a smaller wheel will. This can work for you not only in high speed down hills, but in slower technical terrain as well. It is one of the reasons why many taller riders feel that the 29″er bike is less likely to “endo” than smaller wheeled bikes.

Loose Terrain Traversing/Traction There is a reason why early 29″er pioneers were winning mud bog contests and crossing sandy desert terrain better than their 26″er brethren were. The wheels seem to really excell at crossing loose sand, mud, and even snow. This is a direct result of many of the above mentioned benefits working in concert with each other, but is remarkable, so I mentioned it as a stand alone trait.

Geometry Quirks The positioning of critical frame elements on 29″ers results in a lower center of gravity in relation to the axles for the rider. This also results in a more stable feeling in corners and a less “endo” prone ride for riders choosing 29 inch wheels. It is also worth mentioning that the mere existence of 29″er steering conundrums has opened up a whole new facet for riders of 29 inch wheeled bikes, namely the ability to tune the steering characteristics of your ride.

There are many riders that hop aboard a 29″er and just decide that it works, others take awhile to “warm up” to them, while others find out it just isn’t their cup of tea. Hopefully this brief list will help you to decide whether a 29″er is for you or not. But really, the best thing is to just go out and try one for yourself and see.

Happy Trails! -Why Ride A 29″er?

Gostava de testar uma bicicleta destas, talvez em single speed e rígida.

domingo, 24 de fevereiro de 2008

Ciclismo !!!

Creio que ainda não estou completamente recuperado em relação à próstata , por isso a minha volta hoje resumiu-se a um passeio até à Nazaré com a família...... e a umas pedaladas na bicicleta do sogro.
Não sei qual é a marca da ginga , sei que veio da Alemanha no inicio da década de 70 . Não estou habituado a um guiador tão estreito!Só à pouco tempo é que reparei na riqueza de selim que a bicla tem!
BROOKS ENGLAND LTD
Este selim é conhecido por ser o favorito de muitos ciclistas de longa distâncias e tratado como o Rolls Royce dos selins clássicos.

A história dos selins Brooks.
Mudanças Campagnolo
Pedais de encaixe? Não...
Pedaleira StronglightNo próximo fim de semana dar uma volta para ver como é isto das bicicletas de ciclismo.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

2ª Maratona Aldeia dos Pisões

A Maratona de Abril será esta. É mesmo aqui ao lado e gostei bastante da primeira. Apesar de ter ficado nos 3 primeiros (a contar do fim)...
O percurso em 2007 passou pelos trilhos do TGV, Ataija, Chiqueda, Alcobaça. Não se pode dizer que era um percuso fácil, pois foi um constante sobe e desce, que para mim, se tornam mais difíceis que duas ou três subidas altas e longas.
Desta vez quem participar terá oportunidade de ver o mar, pois parece que passa perto de São Martinho do Porto. A organização está a cargo da PisoPedal e a inscrição são 15 pedais!
Venham conhecer esta zona que vale a pena!
Até lá!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Fotos das 6 Horas dos Marrazes

Fica aqui uma foto tirada pela equipa da Filipa Queirós, que pelos vistos, participa em tudo o que é prova. O seu álbum de fotografias está aqui.
Este é o site das fotos da prova:Fotosapo.
Mais fotos da Resistência 6 Horas dos Marrazes no BTT Clube do Juncal

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

6 Horas... 24 Horas...

À medida que o empeno vai passando, vou-me lembrando de algumas coisas...
A mata dos Milagres deve ser o santuário dos Paint Ballers, tal era a quantidade de bolinhas de tinta de todas as cores, mas acho que são biodegradaveis, menos mal.
Como tinha dito antes da prova, não sabia bem como é que me iria sentir a passar umas horas à volta de num circuito, mas aguentei, pensava que iria ser seca, no entanto, não foi. À medida que ia fazendo as voltas ia escolhendo a linha ideal, já sabia por onde passar e já larguei os travões, travando apenas o necessário.
Creio que aqui existem dois factores, que equilibrados irão resultar numa boa prova de resistência. A escolha do percurso e a distância a percorrer.
Nesta resistência creio que conseguíram encontrar esse ponto de equilíbrio, uma subida difícil, uma descida difícil, umas descidas em trilhos estreitos e largos e uma recta larga e comprida, com uma distância não muito curta não muito longa, os 8ou 9 kms pareceram-me bem.
As 6 horas aguentaram-se bem, agora fazer uma prova de 24 Horas como a de Lisboa em Junho, já dá que pensar...
Estive a ver os tempos realizados em 2007, e deu para ver que à excepção dos 6, 7 primeiros, que estiveram sempre a andar, os outros fizeram paragens entre 3 a 8 horas, portanto uma ou duas paragens mais prolongadas creio que serão essências.
Mas nesta prova aconteceu uma coisa que não estava à espera, fiquei com a próstata um pouco "amassada". As causas acho que foram várias, primeiro mudei o tubo de selim, fiz uma volta de 30 km com ele, depois foi o selim mais umas 3, 4 horas e agora 6 horas. Talvez tenham sido poucas horas em cima do novo material, o que foi mais esquisito foi que durante as 6 horas não reparei no que estava a acontecer... Agora vou ficar de molho, durante algum tempo para ver se isto melhora para a Maratona do Centro.

domingo, 17 de fevereiro de 2008

6 Horas de Leiria.

Ás 8:30, já estava no local da prova, queria estacionar o carro bem perto da pista, e consegui, levantei os dorsais e fui para o carro apreciar o ambiente.Tudo preparado, água , barras, gel e passas...Pronto para a partida.
Desta vez não levei a mochila, optei por levar uma câmara, desmontadores e um chave de correntes e uma bomba de ar.
O foguete deu o toque de partida, grande confusão, mas toca a pedalar. Na zona mais difícil na descida mais técnica, caí mas foi só dessa vez pois a partir daí, passei a fazer essa parte a pé! O percurso foi muito bem escolhido, rectas grandes, single tracks a subir, a descer, boa zona de assistência, com os carros mesmo perto da pista.
Sabia que para me aguentar tinha que comer e beber com regularidade, após a primeira volta, escolhi uma subida bem larga e comprida que dava me ir alimentando, pois no resto da pista tinha que estar com atenção ao que estava a fazer.
O bloqueio das suspensões, deu um jeitão , utilizei-os em todas as subidas e em algumas subidas também bloquei a da frente.
A chuva, esta a ameaçar a aparecer e apareceu mesmo, ainda bem que quando começou a cair a sério, estava a passar perto do carro, foi só tirar o impermeável e seguir. Depois desta parte o inimigo foi o frio. nesta altura as subidas mais difíceis que até então tinha feito montado, passeia a fazê-las a pé pois as caimbras resolveram aparecer, tentei ainda esticar as pernas, mas ainda foi pior, forcei-me a andar e lá passaram.
A 0:20 minutos do fim mesmo perto da meta, tinha que tomar uma decisão, ou ficava por ali a fazer tempo para passar a meta depois das 6:00 horas, ou dava mais uma volta.
Estava frio e tanto trabalho para depois não fazer uma volta, não podia ficar por alí, ainda tinha metade de um gel, tomei-o e segui viagem. Mais uma volta mas com mais cuidado pois a lama começava a aumentar e o piso por sua vez estava mais escorregadio.
Ás 6:21 terminei.
Ainda fiquei por ali para comer qualquer coisa, mas acabei por me vir embora, portanto não posso comentar como foi a comida.
Gostei e para o ano estarei cá outra vez nas 6 Horas BTT dos Marrazes 2009!

6:00 Horas Resistência dos Marrazes

Mais logo, deixo uma descrição mas pormenorizada, bem como as fotografias, mas para já era só para dizer que quase que cumpri com as minhas expectativas.
Completei 10 voltas e fiquei em 80º lugar, concluíram 98 participantes, a minha melhor volta foi 0:30:50 minutos, a pior não sei, estou à espera que apareça no site.

Kona 24 Hours in the Old Pueblo - Está a decorrer agora.

Está a decorrer neste momento uma das provas mais famosas nos Estados Unidos, Kona 24 Hours in the Old Pueblo, a prova está com aproximadamente, 7 horas de diferença de Portugal, portanto só deverá terminar hoje lá para as 19:00/20:00 horas. Podem ver os tempos da prova em tempo real aqui.

sábado, 16 de fevereiro de 2008

6 Horas - Objectivos!




Características

Percurso Total 8,3 kms
Altitude Acumulada 101mts
Dificuldade Técnica
média / Baixa
Dificuldade Física
Média
% Não Ciclável
0%







Objectivos:
- Velocidade Média: 17 kms/h
- 12 voltas=+/-100 km
- 1 volta= 0:30 minutos

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Próximo Domingo 6 Horas de Resistência

No próximo domingo vou participar nas 6 Horas de Resistência de Leiria.
O meu grande objectivo este ano será a participação nas 24 Horas de Lisboa, portanto, a prova do próximo Domingo será o grande teste, no formato de circuito. Terei que habituar à monotonia, ao aumento de ritmo, ás assistências. Logo se vê. O objectivo é encontrar uma velocidade e um ritmo cardíaco constante e mantê-lo.

Curiosamente cheguei a participar à muitos anos principio dos anos 90 numa prova de Cross Country e outra em Leiria, nos... Marrazes, o mesmo local aonde se vai desenrolar esta prova. Na altura a prova tinha sido organizada pelo importador de então da Specialized, a Azimute (qualquer coisa), já não me lembro bem, só me lembro que costumava ir até à loja que tinham num centro comercial em Leira, namorar as biclas que lá tinham, naquela altura lojas com biclas boas era uma raridade! Como aquela só conheci a Mobicicle em Coimbra, mais especializada nas BMX. Alguém aí se lembra desta lojas?
Naquela altura ainda pensei em abrir uma loja com BTTs e BMX, mas como não havia mercado... Agora...

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Próximo Domingo




No próximo Domingo vou participar na Resistência de 6 Horas dos Marrazes, em Leiria.
A previsão meteorológica é que não é a ideal, ainda por cima está tão bom tempo agora... Mas quanto a isso, não há nada a fazer, também tenho o impermeável novo de plástico! O pior é as pernas. e não me posso esquecer de embrulhar os pés com película aderente para a água não chegar lá!

domingo, 10 de fevereiro de 2008

Um ano de Mondraker MR 101

Pois é fez hoje 1 ano que tenho a minha Mondraker MR 101!Após 2600km, tenho a dizer que estou satisfeito! Fiz alguns melhoramentos, travões, Avid Juicy 7,selim WTB Rocket 5 SLT, mas ainda quero alterar mais umas coisas, mas logo vai. Gosto bastante do sistema Pop-Lock, que uso frequentemente, não só em estrada, mas também em subidas, a energia é para poupar!
Entretanto terei que fazer uma revisão à suspensão da frente mudar os cabos e as bichas das mudanças e das suspensões.
Será que consigo fazer mais 3000kms em 2008?

Passeio de Domingo - Trilho do TGV

Este fim de semana o Clube BTT do Juncal, decidiu ir até aos famosos trilhos de Chiqueda em Alcobaça!
Desta vez apareceu pessoal das Caldas da Rainha, e o ponto de encontro foi a Sede do Clube de BTT do Juncal, mesmo perto dos Bombeiros desta localidade.
8:20 saí de casa, 10kms até ao Juncal com umas subidas pelo caminho, que serviram de aquecimento.
Apareceram dois BTTistas da Batalha do grupo de BTT Genesses escoltados por mais outros colegas que aproveitaram a manhã para irem até à Vieira de Leiria, mas por estrada.Pena foi que um deles numa Gary Fisher ficou sem ar na suspensão... O outro companheiro que ia numa Rocky Mountain Slayer, como bom colega, ficou com ele. Fica para a próxima... Os mais adiantados esperavam pelos mais atrasados.
Bem senti aquela silva a embrulhar-se no pé...
Depois logo a seguir a uma curva, bati com o capacete num tronco que está no meio do trilho e logo a seguir bati com o ombro, mas não caí!!! (por acaso...)
Ó Pedro, para a próxima vez, levamos uma fita fluorescente!!!
Ainda nos cruzamos um passeio de uma empresa organizadora de passeio. o que resultou num pequeno engarrafamento nos trilhos de Chiqueda!

Subida do gasoduto, não descemos pela descida que se vê no vídeo!
Para ver mais vídeos desta e de outras voltas, basta clicar duas vezes nos vídeos.
Quando começarem as obras para a construção do futuro TGV, estes trilhos vão acabar ou serão interrompidos, à que aproveitar enquanto ainda é possível andar por aqui.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

24 Solo e Off Road To Athens

Eu à uns tempos atrás apresentei aqui um filme "24 Solo" sobre uma prova sobre Chris Eatough da equipa Trek Volkswagen e sua tentativa para conseguir o seu 7º titulo de campeão do mundo de provas de 24 horas.
A mesma produtora, a Gripped Films, lançou um outro filme "
Off Road to Athens
" que faz o acompanhamento da selecção dos atletas para equipa de BTT Norte Americana para os jogos Olímpicos de Atenas.

24 Solo

Off Road to Athens e o teaser do DVD

Já ví estes dos filmes e é são espectáculo!!! Grande qualidade de imagem, muito bem montado, simplesmente fantástico. (Talvez esteja a exagerar, mas vejam e depois digam alguma coisa).
Numa altura em que quase todos os filmes são sobre FreeRide e DownHill, estes dos filmes são realmente essenciais para quem gosta de maratonas e XC.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Chris Eatough, o Lance Armstrong do BTT de endurance.

"Chris Eatough, o Lance Armstrong do BTT de corridas de endurance", é assim que Chris Eatough é caracterizado numa reportagem da USATODAY.
Esta reportagem está bastante interessante, pois explica de um modo muito simples como são as corridas de 24 horas. Para vermos como decorre um dia de prova dele poderão ver ofilme 24 Solo,onde acompanha uma das provas deste atleta da equipa Trek VW, ou então podem ler esta reportagem.
O "tablier" de Chris Eatough, uma mensagem de entusiasmo, umas gomas e uns comprimidos mágicos, tudo é importante para concluir uma prova destas.

Quadro para vender.




Tenho uma amigo meu Belga, que por sua vez tem um amigo que está a vender um quadro de uma Cannondale Jekyll 1000, ele pede 500€ com caixa e protecções para o envio, a informação e as fotos aqui estão.
(as fotos não estão a carregar, amanhã deixo-as aqui)
Hi,
Please find hereby some pictures of the CANNONDALE JECKYL 1000 FRAME that I’m selling.
The Frame is from 2003.
Why I’m selling it ?
I always was happy with, but had this year the opportunity to get a carbon rush frame that I will use for marathons.
- Frame size M
- Dedicated to receive disc breaks only.(international mounting)
- Integrated SI Headset to receive Cannondale Lefty Suspension Fork ( Don’t worry if you don’t have a Lefty, Cannondale got adapters to install standard Forks 1 1/8’’)
- Frame is sold with Headset and FOX RL (Locking) damper. (Damper was maintained yearly by certified Fox suspension Center + every 6 months the air chamber was cleaned and greased as well the seals checked.)
- Weight with headset and damper is 2,9 kg.
- Rear suspension stroke is 130 mm.
- Front derailleur require to be a bottom pull type with 31,8 mm clamp diameter (I have an LX if you need one)
- Seatpost diameter is 27,2 mm
- The geometry of the Frame is adjustable from Freeride to CCrace.
- Rear derailleur hanger is replaceable.
- Crakste / Bottom Bracket shell is 68 mm wide and has English threads. (Shimano LX-XT-XTR type).
- The Frame got some scratches due to the use. The paint is still the original one (Powder coated). (I didn’t polished it so you can see how it actually looks)
The price I would like to get is 500 Euros, including shipping (correctly packed and foamed).
If you have questions or comments, send me an e-mail:
christophe.van.lochem@macvalves.be or call me under +32 475 43 23 99.”

domingo, 3 de fevereiro de 2008

Should I Stay or Should I Go?


Para além de ser o nome de uma das músicas mais conhecidas dos The Clash, foi a minha dúvida de hoje de manhã.
Lá fora o céu estava escuro mas o sol, lá do lado de Porto de Mós parecia querer despontar...
Tinha material novo que queria testar, o novo selim WTB Rocker V com o tubo Race Face, teria que sair, ou ia experimentar o rolo e ficava em casa.
Como tinha também comprado uma capa transparente para a chuva, resolvi sair, 8:30 estava na rua!
Passado 10 minutos começou a chover... Toca a por a capa, o fecho é com velcro e funciona!!! Nos 64km da volta de hoje apanhei várias chuvadas e aguentou.
Esqueci-me de fazer uma coisa de dá muito jeito nestes dias, que é embrulhar os pés em película aderente para que a chuva não chegue aos pés de modo a permanecerem quentes... Resultado, fiz 60 kms com os pés frios e molhados.
Ainda não tenho umas calças, hoje tinha dado jeito, pois com a chuva e o vento fique com frio nas pernas, o que resultava em caimbras sempre que me levantava, a resolução foi fácil, dava mais ás pernas e não me levantava.
Quanto á posição dada pelo tubo de selim direito da Race Face, só tenho a dizer bem sinto-me muito melhor em cima da bicla!
A chuva não ajudou muito com o selim, custou um pouco, logo na 1ª volta dar-lhe uma molha assim, mas pronto, alguma vez tinha que ser. mas só tenho a dizer bem, o WTB faz uma ligeira onda na parte de trás, que lhe chamam Wale Tail, isto é mais notório nas subidas e mantém a posição nas subidas. As condições de ensaio foram difíceis, pois os calções estavam bem molhados, o que fez com que a esponja não funciona-se como devia, mesmo assim o selim fez a sua função! Só o logotipo pintado de lado no selim é que desapareceu o que mostrou a falta de qualidade desta decoração...
Apanhei várias molhas, mas é tempo dela não é?

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Treinar em casa.

Agora já não tenho desculpa para não treinar, agora com este equipamento, vou poder treinar mais vezes por semana. Como não tenho o hábito de andar de bicicleta à noite e de dia tem-se que trabalhar, esta será a melhor solução, logo pela manhã ou quando chegar a casa toca de fazer um treino! Na caixa vem o rolo, uma protecção para o quadro por causa do suor e um saco para arrumar e transportar o equipamento. Este rolo é magnético, mais silêncioso e com um comando de fixar ao guiador para alterar a intencidade da força, existem outros equipamentos mais económicos mas a resistência é feita por ar e por isso torna-se mais barulhento e como vou treinar de manhã bem cedo, convém que não acorde a família.
Quero ver se monto isto tudo logo à noite, espero não perder peças...