terça-feira, 21 de julho de 2009

12 Horas BTT Proença-a-Nova - Versão Longa

Um ano depois de volta a Proença-a-Nova para as 12 Horas BTT da Horizontes. Desta vez não no aeródromo como no ano passado, mas bem dentro da localidade. Confesso que fiquei um pouco apreensivo por ver que a prova iria passar no centro, mas afinal tudo resultou numa boa surpresa! Devido ao facto de Proença estar em obras, as condições não foram as ideais, mas a abordagem séria e honesta do Paulo, o organizador, fez com que toda a gente estivesse bem disposta, para 2010 as obras já estarão realizadas!
Com 5 provas de 24 horas e uma de 12, já dá para ter uma ideia do que é e não é necessário.
Desta vez a alimentação centrou-se mais na utilização de barras energéticas e de proteínas, gels e uma bebida energética, isto é, com mais hidratos de carbono que as habituais bebidas isotónicas. Levei também pão com manteiga de amendoim com mel. Uma outra coisa a levar, é uma bicicleta a mais, mesmo que esteja velhinha, pode servir para dar mais uma volta ao circuito e quem sabe, subir um lugar ou dois na classificação, ou quanto mais não seja, para continuar a sofrer as horas que pagaram!!!Chego a Proença, faltam 5 horas para as 10:00 da noite, a hora da partida. A primeira pessoa que reconheço é o António Girão. Estaciono o carro mesmo à beira da pista, a 50 metros do arco da meta. A razão principal de chegar tão cedo a esta prova foi a necessidade de dar uma volta de reconhecimento antes de anoitecer. De noite, parece que o percurso é outro, mas arrancar de noite e sem ter a mínima ideia de como é o percurso não é muito aconselhável!
Calções, sapatos e luvas e estou pronto! Quem também está pronto para sair é o António Girão e a Filipa do S.C. Leiria e Marrazes, os três vamos participar a solo. Saímos juntos. Depois de uma subida e descida em alcatrão entramos fora de estrada num monte de pedra solta logo seguido de uma curva à esquerda e outra à direita e apanhamos uma parede bem inclinada, segunda secção da imagem da altimetria! Bem, não vou descrever as outras subidas. Pronto, está bem, havia também mais uma subida com umas pedras irritantes que teimavam em por-se à frente das rodas comprometendo a tracção. Acumulado: 209.57 metros - Distancia: 7.820 metros

Uma subida que adorei fazer foi um pequeno single track cheio de curvas, metia o prato pequeno e toca a pedalar, vira à esquerda, vira à direita, torna a curvar à direita, BTT a sério!
No final partilhamos a mesma opinião, é um percurso difícil com muita altimetria, mas que vai dar um grande gozo de fazer! Há pois, já me estava a esquecer, o pó, era muito.19:00, faltam 3 horas para a partida, hora de comer, mais um "agradável" jantar de Hidratos de Carbono e Proteínas.
A hora aproxima-se, depois de montar o dorsal ,fomos meter as bicicletas no parque fechado e dirigimo-nos para a partida, encontro-me com o Paulo Vieira, que conheci nas 12 horas do ano passado, metemos a conversa em dia e são 10:00.
Partida, tipo Le Mans, tudo a correr para as bicicletas, apesar de um ou outro pé torcido este método resulta bem, nada de engarrafamentos.
Desta vez, como são 12 horas, queria fazer algumas coisas que não tinha experimentado tal como encarar a prova com mais ritmo, diminuir mais as paragens, ter mais atenção à manutenção da bicicleta e acertar e respeitar as horas das refeições.As primeiras voltas são feitas com muito pó, que iluminado pela luz que levo se torna branco e não deixa ver bem os trilhos. Pedalar, pedalar e pedalar, à ,medida que as horas vão passando, cada vez há menos pessoal em pista. O cansaço faz com que quando paro me esqueça de uma ou outra coisa que queria fazer, ou era a lubrificação, ou comer agora uma barra, ou apanhar uma banana. Algumas das paragens são feitas para limpar o pó da transmissão e lubrifica-la. Ás 2 horas da manhã troco a bateria da luz, reabasteço os bolsos, está na hora de uma barra de proteínas. Na descrição dizem barras de recuperação, indicadas para depois do exercício, mas aqui temos mesmo que meter as proteínas durante, comi mais uma e guardei outra para o final. Na zona da meta havia bananas e laranja fresca cortada, parei aqui umas quantas vezes. Mais pedaladas.
Durante a noite dei uma volta com o António Girão, pomos a conversa em dia, tento-o convencer a fazer um blogue e lá segue ele!
O cansaço chega e uma dor no joelho direito que tinha aparecido dois dias antes obrigou-me a um esforço suplementar da perna esquerda que já lá mais para o fim também se estava a queixar. De manhã o calor também começou a apertar, para prevenir, bebi uma garrafa de água com uma saqueta de um pó com electrólitos.
Entre as 8 e as 9 cruzo-me com o Paulo Vieira, mais conversa, desta vez sobre os benefícios de ter um treinador para nos orientar e também das massagens!
Alguns escuteiros, já cansados dormem onde podem! Durante toda a noite estiveram nos cruzamentos de estrada!
Mais uma volta e já está, talvez por saber que é a última faço-a mais lentamente, mas a meta está a chegar, despeço-me de cada subida que faço, pelo menos este ano já não irei lá voltar!
META!!!
Terminaram as 12 Horas de Proença-a-Nova! Só quando parei é que reparei que realmente estava calor! Bebo mais umas águas, não tenho muita pressa, fico por ali a ver os que faltavam chegar.
Por causa das dores no joelho e no gémeo, fui ter à zona onde estava a equipa do Mário Gamito a fazer massagens, ele é que é o massagista do Paulo Vieira. Pela primeira vez, deram-me uma massagem profissional, que maravilha. Quem puder experimentar, que o faça, é altamente recomendável!
Banho, entrega de prémios e almoço, hora de voltar.
Agora tenho outro desafio, chegar a casa. Sei que não é muito recomendável agarrar no carro e andar por aí com uma directa em cima, depois de andar a pedalar durante 12 ou 20 horas, mas estava muito calor e por isso tinha que escolher entre tentar dormir ali mesmo no carro ou seguir viagem até à próxima estação de serviço. Segui até à próxima estação de serviço, entre Coca-Cola, cafés e água fresca na cabeça, costas e pés, lá cheguei a casa.

Resumindo, adorei esta prova, fiquei em 7º lugar, mas foi como se tivesse conseguido um 3º ou 4º, pois terminei com a consciência tranquila, dei o meu melhor, tentei puxar sempre, mantive os batimentos sempre acima das 140 pulsações (136 bpm média). O circuito era difícil tecnicamente com um acumulado por volta de 209,57mts, acabei por fazer um total de 3981 metros, se virem o gráfico dá bem para ver que subidas eram muitas e longas e as descidas eram poucas e curtas. Lembrei-me algumas vezes dos treinos de estrada que tenho feito a subir os montes que há por aqui, ainda bem que os fiz. Fiquei também satisfeito por verificar que fiquei apenas a 2 voltas do vencedor e a uma volta do 2º classificado.
Quem teve algum azar foi o António Girão que terminou em 6º com o mesmo número de voltas do que eu, um desviador partido e dois furos, tiraram-lhe a possibilidade de ter subido mais na tabela, mas isto faz parte deste desporto, estes contratempos... Por isso há que anteve-los e foi isso que ele fez levando duas bicicletas.
Gostaria de chamar à atenção para a qualidade de apresentação das classificações da prova, mais ninguém faz isto em Portugal!!! A empresa responsável foi a SIIM.
Este ano acabaram-se as provas de 12 e 24 horas para mim. Já estou com uma ideia de algumas das provas a fazer até ao final do ano.

Fotografias da prova aqui.
Recaldo no ForumBTT aqui.

2 comentários:

Macrobiótico disse...

Como já falei no twitter, parabéns João! 7º lugar é uma excelente colocação!

RuiRuim disse...

Parabens! mais uma excelente descrição! para o ano para o ano lá irei a isso
Agora é só descansar com um pequeno passeio até Sagres! :)