sexta-feira, 28 de maio de 2010

Finalmente o sol.

Finalmente o calor está de volta e as praias estão mais coloridas parece que o Verão está mesmo aí.
A volta de Domingo, foi feita mais a rolar sem aquela coisa de "treino".
Tenho andado com a cabeça ocupada com outros assuntos por isso a bicicleta tem ficado mais para trás. Ainda assim foi uma volta de 4 horas.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

24 Horas de Castelo Branco 2010 (Versão Longa)

Cheguei a Castelo Branco na sexta-feira ao fim do dia.
Dirigi-me logo às piscinas, estava curioso para saber como era o percurso. Os representantes do país vizinho já lá estavam a montar o tenda. Tal como o Pedro Maia e o seu colega Rui Batista que estavam de saída para uma volta de reconhecimento, aproveitei a boleia e juntei-me a eles. O percurso foi feito em sentido contrário ao do ano passado, poucas eram zonas comum, a maior parte eram single tracks suficientemente largos para a passagens dos mais rápidos. Alguma pedra e muitas pequenas irregularidades resultantes da máquina que abriu caminho. Também havia subidas mas nada de especial desde que fossem feitas sem forçar. Não chovendo, só haveria lama em dois pontos do percurso.
A opinião foi comum, o percurso estava bastante interessante para uma prova de 24 horas. Se tivessem alisado um pouco mais certas zonas, teria sido uma pista perfeita.
Fui jantar uma picanha e fui para a Residencial Europa (€20,00), não tinha nenhum luxo, mas deu para tomar banho e o colchão não era mau!
Sábado de Manhã, ás 9 horas já lá estava, sem pressas lá fui preparando as coisas. Fui comendo alguma coisa, fruta e coisas salgadas, na maratona do Centro e na de Portalegre não dei a devida importância ao sódio (a falta que ele faz) no corpo.
Ás 12:00 Horas, partida.
Grande nuvem de pó e lá vou eu andando, ou melhor, pedalando, não muito devagar nem muito depressa, apesar de não me ter esquecido, não quis utilizar a fita com o medidor da frequência cardíaca.
Depois de entrar na segunda volta começo a sentir o pneu de trás demasiado vazio... Tinha-me esquecido da bomba de ar no carro, valeu a ajuda do "S@ntos" que prontamente me emprestou a sua bomba. Já no carro, não foi preciso muito para ver um rasgão de 2 cm, monto uma câmara de ar com liquido selante e volto à prova (Já agora, a câmara é para rodas de 26 polegadas, mas servem nas rodas 29). Mais umas voltas e novo furo, apesar de agora já levar a bomba no bolso, a câmara apesar de levar líquido selante, não consegue vedar a fuga. Levei duas câmaras de ar, restava-me mais uma. Pensava que a fuga era do rasgão do pneu, mas ao trocar a câmara vi que o líquido do pneu estava concentrado num sítio diferente, verifiquei melhor e tinha um pico no pneu, saquei do alicate e tirei-o, só faltava tornar a meter o pneu.
Se a primeira câmara a meti sem problema a segunda estava mais difícil de meter, tive a sorte do Ricardo Carvalho da Casa do Benfica ir a passar e que me deu uma mão extra na montagem! Obrigado!

O combustível veio de várias fontes, uma delas foi este bolo de mel, mas também fui comendo umas sandes de queijo e presunto, umas batatas fritas, uns palitos salgados, figos secos, amendoins, gomas, bananas, ovos cozidos, etc.
Levei também barras energéticas e gel mas comi apenas uma barra Isostar Long Energy, esta a guardar essas fontes mais para a manhã... Para beber comecei com o pó da Isostar também mas depois comecei a beber esses sumos de fruta carregados de vitaminas do Lidl. Quando chegava ao carro lá ia uma Coca-Cola. Mais durante a noite, ia misturando à bebida energética uma lata daquelas carregadas de cafeína e taurina.
Vai uma goma?
Ás 20:00 tínhamos que sair para a pista já com as luzes.
Continuei a pedalar até ás 21:30, foi nesta altura que parei para jantar. Fui dos poucos que escolheu a refeição fornecida pela organização. Como a "comida a sério" é importante para mim comi dois pratos de sopa um de massa com carne mais a sobremesa. Tive a sorte de encontrar o João Pina que desta vez deixo o kit da Singlespeed em casa. João, já estive mais longe de ter uma Single-Speed, 29er claro! Volto para o carro para mudar de roupa, vestir uma calças e um casaco e à tenda dos meus vizinhos do lado beber um café!
5 horas depois do jantar e 14 horas depois do inicio da prova paro. Não estava com as pernas cansadas, tinha-me alimentado bem e não tinha abusado nas subidas. Mas a noite estava super escura e sentia os olhos cansados. Nada que eu não estivesse habituado, mas desta vez tinha dito a mim mesmo que iria ficar em Castelo Branco a dormir, pois no ano passado tinha tido a sorte de conseguir aguentar-me acordado mais de 40 horas seguidas. Este ano, não quis desafiar a sorte, ao voltar a casa a conduzir um carro cheio de sono.
Durante estas provas penso em muita coisa e não penso em nada, concentro-me no terreno e onde tenho que por a roda da frente quando e o que tenho que comer e beber. Desta vez, questionei esta coisa de andar ás voltas para lado nenhum e só pensava que chegaria a casa na segunda-feira e perderia o fim de semana com quem mais quero estar.
Encostei a bicicleta e fui dormir umas horas.
Ás 7:00 lavei a bicicleta, arrumei tudo no carro, banho e pequeno almoço, despedi-me do pessoal amigo, e fiz-me à estrada para estar com quem eu mais queria.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Viva le donne!

Nunca se questionaram porque é que nestas voltas não encontramos senhoras?
Actualmente isso não é permitido. Mas em 1924, Alfonsina Morini Strada (1891-1959) apareceu na linha de partida do Giro de Itália e chegou ao final da prova em que muitos abandonaram devido à sua dureza. Podem saber mais sobre esta senhora na Wikipedia, aqui , aqui e aqui.Gosto de ver pessoas que vão à luta e seguem o seu coração sem ligar a nada nem a ninguém, esta senhora no inicio foi apupada e no final do Giro foi mais aplaudida do que o vencedor. Toda a sua vida ficou ligada ao ciclismo.
Viva le donne!!!
Esta história no Eurosport.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Casas de banho...

Centro Comercial Leiria
Centro Comercial Castelo Branco

Mesma situação, perspectivas diferentes do papel de um pai...

domingo, 16 de maio de 2010

24 Horas de Castelo Branco 2010 (Versão Curta)

Foto de Fotos Btt.
O percurso tinha 5700 metros, bem mais difícil do que no ano passado, mas também mais interessante, com mais curvas, mais singles-tracks e... mais subidas.Não abusei muito, ou quase nada, o que fez com que ás 3 da manhã, me até sentisse bem fisicamente, estava muito bem preparado, mas a cabeça desta vez não estava sintonizada para andar ás voltas. A menina do coelho não me saía da cabeça.Fui-me deitar e não voltei a pedalar.
Ás 12 horas de Domingo quando soava o toque do final da prova em Castelo Branco eu e ela estávamos a ver o mar.

Classificações aqui.

Depois conto mais. (mais aqui)

quarta-feira, 12 de maio de 2010

NYC - Up There

UP THERE from The Ritual Project on Vimeo.


Se gostas de filme, de cor,de documentários, outras vidas, outros continentes, aqui ficam 13 minutos disso.
(Aparece bicicleta, mas não tem nada de biclas...)

24 Hours of Exposure - Reino Unido

www.24hoursolo.co.uk from ResetFilms.co.uk on Vimeo.



24 Hours o Exposure vai acontecer no dia 22 deste mês. Com algumas coisas interessantes tais como, a escolha da pista e o apoio aos atletas que estão mesmo sozinhos para o evento.

domingo, 9 de maio de 2010

Falta uma semana para 24 Horas de Castelo Branco

Hoje fui para a zona da Serra dos Candeeiros, Chão das Pias, Grutas de Santo António e outros nomes esquisitos, resumindo foi o habitual Tour des Grottes antes de alguma prova mais importante.
Era a subir mas aqui este gráfico parece mais do que realmente foi. Na sexta utilizei o GPS no carro e não o meti a carregar, resultado, desliguei a função do GPS e trabalhou apenas com os sensores, aguentou-se bem, para a carga que tinha. A informação da volta aqui.

Stay Hungry, Stay Foolish

Nice skid!

quinta-feira, 6 de maio de 2010

5 dias - 5 pedaladas

Hoje ao fim do dia lá saí para mais uma volta ao circuito habitual, Nazaré. Se tivesse 5 euros por cada vez que fiz esta estrada... Ainda considerei ir fazer uma aula de alongamentos, mas já passei tanto tempo sem elas, que se faltar a uma também não faz mal.

Desde a Maratona de Portalegre no Sábado, andei todos os dias de bicicleta. Depois dos 99 kms da maratona,no Domingo, fiz 88kms com um ritmo mais calmo, 124 bpm. Depois, na segunda feira fui levar o carro para revisão e fui para o trabalho de bicicleta ,"treino" de 25 minutos, foi tipo a recuperação da volta de recuperação de Domingo. Na terça fiz umas séries e hoje esta volta de uma hora e meia.
Tudo isto para dizer que acho que isto até correu bem, o habitual é não pegar na bicicleta no dia seguinte a uma maratona e desta vez peguei. Bem sei que não é nada de especial, mas é mais do que tenho feito e por isso estou satisfeito.

Castelo Branco está quase... Objectivo? Dar mais uma volta em cima das 50 que dei no ano passado.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Uma 29er a descer


(Video, dado a conhecer pelo Luís Ferreira via Facebook.)
Esta é a Santa Cruz Talboy e já as há a rolar por Portugal. Não sei descer como ele mas acreditem que desço mais depressa agora com a 29er do que antes com a 26er.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Portalegre 2010

Este fim de semana foi dia de Portalegre.
Sexta-Feira partimos rumo à maratona, bicicletas na carrinha e lá fomos nós.
O jantar foi óptimo, comida alentejana, vário pratos, vários vinhos (só para provar) e um café num fim... Só lá para as 3 e tal é que adormeci... Esqueci-me de pedir um descafeínado...
De manhã cedo lá estava eu, desta vez apenas a alguns metros da linha de partida.
Não levei o Camelbak, optei por levar os bidons na bicicleta. Para ter a certeza que o bidon não cai fiz como no Georaid meti um elástico, que também serve para evitar as primeiras lamas, depois de troca-los durante a prova já não ligo se estão sujos ou não...
A partida para não variar foi logo alvo de quedas, fiquei a saber que um dos que caíram partiu o pé! Já não andava de bicicleta desde terça-feira, por isso levou algum tempo até aquecerem, mas lá fui eu fazendo aquelas subidas.
Bem, não há muito para contar porque a prova foi passada basicamente a pedalar no tempo total da minha prova estive 10 minutos parado. Esses 10 minutos serviram para fazer um bidon com Isostar que tinha levado num saquinho, meter óleo na corrente por duas vezes nos postos de assistência, comer uns gomos de laranja e... no chão...
Pois foi, no penúltimo controlo parei para a picagem, quando meto os pés no chão as pernas ficaram mais direitas do que nunca, deu para perceber que as caimbras que vinham a acompanhar resolveram assumir-se... Tudo bem, o garoto mete o agrafo e quando tento forçar a perna a dobrar-se para meter o pé no pedal, ela não dobrou e chão comigo... Depois de me tirarem a bicicleta do meio das pernas, mais uma tentativa para as dobrar, sem sucesso. Instintivamente virem-me de barriga para baixo e levantei-me com os braços, só assim é que consegui dobra-las. Bem, que figurinha... como não valia a pena ficar aí à espera que as caimbras passassem, apesar de doer um pouco prefiri fazer-me ao caminho, mas cá com um andar!!! A perna direita até andava mas a esquerda arrastava-se... Depois de mais barras e gel e algumas das subidas feitas a pé lá recuperei e depois do último abastecimento já conseguia pedalar sem caimbras. Seis horas e quinze minutos depois da partida estava a cruzar a linha de meta.
Apesar do contratempo acabei satisfeito. Os meus dados da prova aqui.

Hoje, Domingo à tarde também saí. Bem mais calmo, para recuperar foram três horas e quarenta minuto com uma média de 124 bpm, a lutar contra o vento norte. Marinha Grande até à Nazaré passando pela praia de Vieira de Leiria. A volta aqui.