quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Uma Aventura na Lousã- Dia 1

Uma semana depois aqui estou eu de volta para relatar a minha aventura da semana passada. Como tinha dito na quarta-feira, lá parti eu em direcção à Lousã para juntamente com o António fazermos o track de GPS da edição do ano passado do Geo-Raid Terras de Xisto.

Depois do habitual (ligeiro) atraso cheguei à Lousã. Estacionei em frente do ex-parque de campismo e da actual Pousada da Juventude. O António e a Lena já lá estavam, a ultimar tudo para o inicio da aventura.
Rapidamente preparo também as minhas coisas, levamos o Camelbak e os bidons, levo dois um já com Isostar Long Energy e outro bidon só com o pó para misturar com água mais tarde. Como habitualmente carrego comida a mais, deixo uma banana e umas barras no carro (mal feito).

Depois do café, lá fomos nós, atrás das ordens do GPS. Depois de passarmos as casas viramos para uma estrada com um belo asfalto, mas a subir, pois é, aqui não se brinca, nem há aquecimentos rolantes para ninguém!!! O que vale é que a conversa ajudou a distrairmo-nos da subida que estávamos fazer.
Uma hora depois, já com grande parte desse tempo feito em trilhos, tínhamos um acumulado de mais de 700 metros! A coisa prometia, afinal a fama do mentor da prova António Malvar tem a sua razão de ser!
Sempre a subir, nas 3 ultimas semanas, fiz 3 saídas de bicicleta, apesar do endurance estar cá, falta mais qualquer coisa, mas lá fomos subindo.
O António, apesar de estar de férias, tem pedalado não com tanta frequência, mas tem pedalado, o que contribuiu para a sua boa disposição.
As paragens para as fotografias foram muitas, quando paramos aqui, olhamos para o parque eólico perguntei-me se iríamos lá passar. Algum tempo depois, lá estávamos nós. Pelo caminho ainda à saída da Lousã, avistamos dois pequenos veados, só por isso já valeu a pena andar por aqui.
Para trás, já lá em baixo, ficava Gondramaz, uma das várias Aldeias de Xisto por onde passámos. Single track houve poucos, mas bons, este foi um muito curto mas todo feito em cima de pedra. Umas duas horas depois do inicio da volta, as pilhas do GPS resolveram fazer greve. Como a máquina fotográfica que levava emprestada (obrigado mamã) tinha o mesmo tipo de pilhas lá as trocamos, menos mal, podíamos seguir viagem. O mal foi mesmo do António, pois muitas vezes dizia-lhe que tínhamos que parar para ele tirar fotos!!! Praias fluviais passamos por três, faltou uma fotografia da segunda visitada, estávamos mais interessados em beber uma Coca-Cola, e a comer! Mas posso disser que logo a sair dessa praia tivemos que subir uma bela parede, claro...
Passamos por muitas localidades e pontos de água, mas atenção que depois de sairmos do conselho de Figueiró dos Vinhos estes pontos começam a escassear.
O calor tornou o que já por si era difícil, ainda mais difícil. Enchi o saco de dois litros pelo menos duas vezes e os bidons sempre que parava juntava-lhes mais água. Como já estava a prever esta situação levei duas saquetas de Dirolyte que fui bebendo, como meti água directamente na saqueta, a mistura ficou super salgada, mas valeu a pena.
A determinada altura o António disse que já estávamos a fazer o caminho de volta, tínhamos passado o ponto mais distante, agora era só voltar... O pneu de trás estava com um furo lento, de vez em quando, lá parava para meter mais ar. Tinha duas câmaras de reserva, mas como queria adicionar mais líquido selante, não quis trocar. Como mais o último pão de leite com queijo e fiambre, entretanto já tinha derretido, dois pães com banana e mel, um com manteiga de amendoim e mel, dois com queijo e fiambre uma banana um kiwi e duas barras de cereais.
Mais houvesse e teria comido, pois uma hora antes de chegarmos à Lousã deu-me uma fraqueza daquelas! Foi um quase bonk, digo quase, porque ainda tinha meio bidon com Isostar, e o António deu-me a sua última barra de cereais que deu para chegar até à Lousã. A meio desta subida estava o trilho que nos iria levar até ao final do track. Mas, estava disfarçado pelo tapete novo de brita o que fez com que o António tivesse tido que descer de novo para confirmar a viragem. Posso dizer que esta foi para nós a melhor altura do dia, deixávamos os estradões de brita empoeirados pelo movimento das carrinhas de manutenção dos aerogeradores. Agora já não tínhamos nada para subir. A luz do sol já perto do horizonte dava um tom dourado aos pinheiros caracteristicos desta zona, semelhantes aos que vi no Gerês . Ao descermos entramos numa zona com muito fechada, de repente ouvimos um barulho de do lado esquerdo, e vimos um enorme vulto que cruzou o trilho! Era um veado mas também podia ser um Yeti tal foi a pressa com que passou o trilho! Temos equipa!!!
Só falta mesmo vir a confirmação, como já há uma série de inscritos , só podemos esperar para ver o nosso nome na lista. O que já tinha acontecido nas voltas que damos aqui na zona, repetiu-se na Lousã, boa conversa, sem pressões, nem aborrecimentos.
A volta terminou pouco antes de anoitecer, foram 10 horas de bicicletas. Ao chegarmos a Góis, depois de montar a minha tenda e de termos tomado um belo banho. Lá fomos nós os três procurar um restaurante. Valeu a boa vontade do dono de um restaurante que nesse dia não tinha aberto, o António tinha lá estado no dia anterior e depois de lhe ter perguntado se havia algum sitio ainda aberto, abriu-nos a porta do seu estabelecimento.
Entradas de queijo da serra e presunto, depois foram umas febras com batatas fritas eu cá para restabelecer os líquidos bebi duas cervejas pretas, para além de eu gostar dizem que ajudam à recuperação! 100 kms feitos. Se conseguirmos estar na linha de partida em Outubro vou tentar não tirar fotografias e focalizar mais em pedalar. Assim, pode ser que consigamos terminar mais perto do tempo em andamento que fizemos, 7:40.
Tenho mais algumas fotografias para meter aqui e certamente o António vai-me lembrar de mais coisas... Grande parte das fotos que aqui estão são dele. Não se esqueçam de visitar o seu blogue, ainda não tem o relato deste dia mas quando estiver ele certamente irá saber descrever os nomes de todos os sítios por onde passamos.
Entretanto fazia um apelo a alguma empresa que queira apoiar estes dois caramelos que gostam de sofrer em cima de duas rodas que nos envie um email. É que a época é de crise e todo o apoio é bem vindo. Não vamos ganhar, mas podem apoiar!!!!

6 comentários:

carneiro disse...

84,9 Km/h a descer sem ser em alcatrão ?

nanex disse...

tb fiquei intrigado com esses 85 km\h...
pergunto-me se passaram por alguns dos Centros de BTT ou por alguns dos seus percursos.
estive em Maio deste ano num deles e fui surpreendido muito pela positiva e aconselho a experimentarem conforme referi no meu blog.

As Minhas Pedaladas disse...

olá amigos, já perguntei ao António sobre os Kms no GPS, ele disse que pode ter apanhado mal os satélites e dado essa confusão. Não demos 80 kms/h.
Passamos por esses centros, fizemos alguns desses trilhos. Gostei de ver o centro com a lavagem das bicicletas, não tirei foi fotografias nele...

RenatoSilva disse...

ola, sou um aficionado de btt tal como tu, ok um pouco mais.
Gostava de saber uma opiniao tua, vi neste post que comes pao de leite para dar forças . . . mas eu tenho lido o contrario quanto a massas do tipo Pao de Leite (BRIOCHES). Dizem que essa massa faz diminuir a nossa capacidade de resistencia, qual a tua opiniao?

e já agora, que adquiri há pouco tempo um gps, dá para sacar os dados das voltas para o computador ou somente tirando fotografia como fizeste?

Abraço

As Minhas Pedaladas disse...

Olá Renato, levei pao de leite porque calhou ser assim mas também é conveniente, já que são pequenos e dá para comer melhor em andamento. Não creio que faça mal, já vi equipas do pro tour a comerem pão de leite durante as provas, tal como a beberem cocacola, o que faz mesmo mal é passar fome!!!
O GPS não é meu é do António e o dele trás um cabo USB para transmissão dos dados.

RenatoSilva disse...

Essa transmissao de dados é apenas do Track ou dos "numeros" tambem? eu apenas consigo transmitir os tracks e ver a altimetria mas tempos, medias, etc nao sei . . .

abraços e obrigado pela atençao