quinta-feira, 19 de novembro de 2009

3 Horas BTT À Volta do Mosteiro Batalha Parte II

As 3 Horas à Volta do Mosteiro, para mim começaram no Sábado com a confecção de um bolo! Não um bolo normal, mas sim um bolo energético que seria o meu pequeno almoço de Domingo de manhã. Correu tudo bem, nem o queimei, mas também contei com a ajuda do meu tesouro. Foi um sucesso, mais tarde dedico um post a este assunto.
Domingo, chego à Batalha ás 8 hora. O José Augusto já lá estava, rapidamente chegam mais colegas do CBTT do JUNCAL. Apesar da hora da partida se estar a aproximar damos uma volta ao percurso. Serviu de aquecimento e para ver que não ia precisar dos manguitos e dos pernitos, mantive as capas de neoprene nos sapatos, não fosse chover. Se por um lado foi bom ter dado esta volta, por outro lado quando chegamos, ficamos já com muito pessoal à nossa frente.
Partida, depois de entrarmos no percurso da prova apanhamos uma subida de alcatrão, que pouco depois passa a brita. Logo a seguir, entramos numa descida em single track.Mais uma subida bem estreita entre os eucaliptos. Chegamos a um trilho mais largo que passa também pela zona de abastecimentos líquidos, aqui deu para ver que a organização também anda de bicicleta, local, bem escolhido. Depois lá começámos a descer por dois singles onde havia mais lama, creio que correu bem para a maioria do pessoal, se tivesse chovido esta passagem teria sido bem mais difícil.Mais uma pequena subida e nova descida, desta vez ao lado da estrada nacional. Aqui seria uma boa oportunidade para descansar, mas não deu, o vento vinha de sul e estava bem forte por isso e apesar de estarmos a descer, tivemos que pedalar para conseguir descer!!! No final da descidas virávamos à esquerda foi aqui que o Paulo Vieira rasgou o pneu num tijolo partido, tendo feito apenas uma volta! Fotografia da organização
Mais uma série de curvas, uma passagem pelo campo de futebol e entramos na zona dos passeios, aqui ouve uma série de furos, pelo menos 3 colegas do Juncal furaram aqui mais do que uma vez!!! A organização pouco tempo depois resolveu a situação desenrascando algumas tábuas. Depois de mais uma descida, nova entrada em alcatrão até à zona da meta. Era aqui que bebia o isotónico e tentava apanhar a roda de alguém mais uma vez como ficávamos virado a sul o vento foi implacável.

Quanto à prova propriamente dita, correu bem. o meu objectivo principal era fazer a prova do inicio ao fim sempre a puxar por mim sem descansos desnecessários. Tudo foi correndo bem até à 6ª volta conseguindo fazer voltas de 17 minutos. Mas na zona do single track a subir ouvi um ramo na roda de trás e parei. Assim que toquei com os pés no chão as pernas bloquearam!!! Ali fiquei uns segundos, mas tinha que continuar, desmontei andei mais um pouco até os músculos estarem no lugar e segui caminho, mas já não consegui manter as voltas dentro dos 17 minutos. Valeu a troca de bidon (obrigado colegas do Juncal). Quando sentia que as pernas iam sofrer com caimbras, aliviava mais um pouco e lá continuava. Na volta final, apertei mais para conseguir passar na meta antes do inicio da 3ª hora e conseguir assim fazer mais uma volta, mas por 2 minutos não consegui. Terminei com 10 voltas feitas.
Estava satisfeito, tinha-me alimentado como deve de ser, o bolo energético ao pequeno almoço, as barras e os gels durante a prova deram-me energia para não me ir abaixo, fui bebendo regularmente tanto água como bebida energética EAFIT. Mantive um ritmo de prova vivo e quase sem quebras. A bicicleta portou-se bem, os pneus também apesar do de trás estar quase sem rasto. O creme de aquecimento nas pernas, também ajudou a manter as pernas quentes, mas é preciso ter cuidado com este tipo de cremes, se tocam nas partes sensíveis vai doer... A nota negativa vai para o Sigma PC, queria analisar a informação do coração mas passou a prova toda a funcionar com 2 dígitos... Tal como na Maratona de Portalegre deste ano, não funcionou! Talvez o pai natal se lembre de me oferecer um destes.
Desta vez o meu colega da roda 29 Marco Belo, não participou, esteve a tirar fotografias e dar apoio ao pessoal, mas nem por isso deixou de haver bicicletas digamos que um pouco diferentes, do habitual, em comum tinham a forqueta rígida. Foi a Voodoo Single Speed do Nuno Neves (196) que terminou com 9 voltas ao circuito e a bicicleta de Ciclocross do Sérgio Dias (061) com 11 voltas. Gosto de ver pessoal a aparecer com bicicletas diferentes do habitual, porque apresentam uma outra maneira de abordar o desporto. São outros gostos e atitudes que acabam por enriquecer as nossas provas. Nas single speeds é a simplicidade, fiabilidade e eficiência da bicicleta , o facto de terem que fazer subidas a pé não os assusta, pois muitas vezes sobem mais depressa que os que usam o prato pequeno. No Ciclocross é a vantagem de manter mais a velocidade, os pneus finos cortam melhor a lama, creio que devem ser mais difícil de travar, mas como nunca andei numa, não posso dizer muito mais.

Mais uma vez cruzei-me com o pessoal do blogue Pedalando até ás estrelas, o Jaime e a atleta em prova a Carla que mesmo depois de uma queda e de ter partido o capacete logo na primeira volta, manteve
o ânimo e a determinação, terminando a prova em 3º lugar com 8 voltas ao circuito.
Um outro blogger que esteve presente foi o AZBTT, aqui fica o seu rescaldo. Não se esqueçam do rescaldo do Paulo Vieira e do José Augusto, dois furos impediram-no de desfrutar a sua nova montada.

No próximo fim de semana, vai haver uma resistência de 3 horas aqui na Marinha Grande, eu até estava para participar mas uma inflamação nas amígdalas, fez com que ficasse um pouco abalado, mas é uma prova a pensar pois a inscrição inclui uma entrada na XX Feira Nacional de Artesanato e Gastronomia.

Próximo evento talvez seja o Tróia-Sagres em Dezembro, digo talvez porque estou dependente dos meios logísticos. Depois de ter feito este trajecto no Verão fiquei com vontade de o fazer no Inverno, por isso vamos ver.

Todas as fotografias com excepção da primeira e da rampa, foram tiradas pelo meu colega de treinos, António Pereira. ( Obrigado)

7 comentários:

FRINXAS disse...

Homem de provas de resistência estou a ver!!!

Tudo bem camarada? Tenho acompanhado o teu blog, e o amigo parece ter "trauma" por provas deste tipo! LOL

Confesso de que adoro muito também. Para além das pernas, temos que treinar muito uma coisa que nem todos o conseguem... A mente! E gerir estas duas coisas, adoro!

Para o ano quero ir de Santiago até Fátima non stop! Vão ser as minhas 24h estradistas! LOL

FRINXAS disse...

É verdade, eu uso um CS600. Tem o inconveniente de ser um conta km, mas como não pratico nenhumm outro desporto... E gosto muito daquilo

Filipe Domingos disse...

Caro João:

Veja este link:

http://www.fitnessdigital.pt/pulsometro-polar-s725x---sensor-de-cad%eancia-10000214-p.html?ct=32

Parece-me um bom preço.

Eu uso o CS400 que é também excelente.

Marco Belo disse...

"Valeu a troca de bidon (obrigado colegas do Juncal). "

Colegas não! Colega, no singular! =P

Parabéns por mais uma prueva superada! ;)

Abraço,
MB.

Macrobiótico disse...

Isso ai João! Vai nessa que um dia seu incentivo vai me fazer participar de uma prova aqui no Brasil! =)

sedi disse...

Obrigado pela refrência!
Foi uma prova divertida, feita desta vez de outra maneira.

Cumpimentos,
Sérgio, Sedi, ou o maluquinho do cyclocross! :-)

As Minhas Pedaladas disse...

Frixas, bem tento resistir, mas vou a ver e já estou a andar ás voltas... Para 2010 queria ir até Itália fazer uma prova de 24 horas, mais tarde falo nisso. Não haja dúvida que para fazer 24 horas têm que haver algo mais que só pernas. Fico a aguardar essa tirada de Santiago até Fátima, se for possível acompanho-te de Leiria até Fátima. Aquilo acaba cá com umas subidas...
Sedi, como disse antes é bom ver pessoal com a mente aberta!!! O pessoal do triatlo têm todo o meu respeito pelo que fazem. Especialmente pela dedicação ao treinos que têm quer ter!!!
Filipe olá! Já tinha passado por lá. O preço é realmente interessante!
Marco! Estava lá mais pessoal contigo!!!
Macrobiotico fico à espera dessa prova!