domingo, 31 de maio de 2009

2ª Resistência 3 Horas de Martingança

Tal como esperava, estava lá muito pessoal conhecido da Maiorga, Marinha Grande, do Clube BTT do Juncal e os Bloggers Zé do Pedal Virtual e o Nelson do Terras do Sal.
Foram 3:11 horas de calor, muito calor, felizmente havia bolos, laranja, água e bebida isotónica para quem quisesse, podia era ter havido dois pontos de abastecimento. No final da 1ª hora larguei o CamelBak na zona da meta, a água estava quente e o sabor da bebida isotónica era melhor e mais fresca (não sei qual era). Duas em duas voltas, parava para para encher a garrafa e regar o corpo com os copos de água. Depois, a organização a meio da prova lembrou-se de ligar uma mangueira para molhar o pessoal, muito bom, eu aproveitei, claro.
Que ritmo, o pessoal aqui da zona anda bem, o percurso estava bastante interessante, mas apenas para uma prova de 3 horas, pois se fosse uma resistência de 12 ou 24 horas, teria sido demasiado massacrante para os pulsos e costas.
Os trilhos não eram difíceis, mas em algumas zonas havia muitas mudanças de direcção, fazendo os braços e as pernas tivessem mais trabalho, havia algumas pequenas lombas muito irritantes, ainda bem que levava suspensão total. O amortecedor Fox RP23, após a primeira volta, passou para a posição do Propedal para a posição aberto, aproveitando assim o curso que tinha disponível. Analisando a prova do ponto de vista da roda 29, posso dizer que se por um lado havia algumas rectas em era possível acelerar mais, havia também muitas curvas. Já é certo que a roda 29 tem alguma vantagem em recta e descidas, é um facto, mas já não é tão unânime o seu comportamento em trilhos mais técnicos. Eu continuo a preferir fazer estes trilhos com a roda 29, está bem até pode não reagir tão rapidamente como uma 26 mas eu até gosto disso, pois ela dá-me "uma aviso" antes que alguma coisa corra mal, podendo algum erro ser corrigido. Também posso dizer quer pelo facto da roda 29 ter mais superfície de contacto com o chão a tracção aumenta e por isso arrisco mais nas curvas ao inclinar mais a bicicleta. A geometria do quadro com um slopping bastante baixo e com o conceito Genesis 2.0 (video com a explicação) também tem um papel importante. O prato pedaleiro grande (não gosto de dizer talega...) com 42 dentes foi um sucesso. Nas tais rectas utilizei-o bastantes vezes, aumentando mais o rendimento das pedaladas em comparação com o de 32 dentes e com o beneficio de poder pedalar com uma cadência mais alta, poupando mais as pernas.
Quanto a classificações, fiquei em 33º dei 9 voltas(60 kms), o vencedor Sérgio Valente deu 11, não sei bem quantos é que lá estiveram, mas foram mais do que 33... Talvez uns 70 ou 80 participantes.O almoço foi bom e acompanhado por muita Coca-cola e já no ficam por uma(s) cervejas preta!!! Lembrança original não é? Prova a repetir para o ano.
O rescaldo da prova no Forum BTT.

Um Azar do Caraças - Knock Up

Depois de chegar a casa sentei-me à frente da televisão a ver a última etapa (conta-relógio) do Giro de Itália, no final começo a fazer um zaping e apanho a Katherine Heigl da serie Anatomia de Grey, como ela me diz alguma coisa resolvo deixar ficar, que surpresa de filme, Um Azar do Caraças - Knock Up

Pensamentos, dúvidas, medos e sexo pré-natais são alguns dos temas que correm este filme, mas também toca na vida de casal e como o casamento afectam a vida própria de cada um.
Um filme sério disfarçado de comédia.

sábado, 30 de maio de 2009

Cairo to Cape Town by Bicycle

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Mecânica, pesos e tunnings.

Esta semana agarrei na Gary Fisher e fui à BTTerra, no fim de semana tentamos dar conta do desviador mas parece que não ficou a 100%. Agora está melhor, mas mesmo assim, quando me levanto e meto mais força nos pedais a corrente passa para outra mudança... Conclusão quando um desviador se dobra, o mais certo é ter que meter um novo, ainda vou tentar fazer a II Resistência da Martingança com este, logo se vê como corre a coisa. Já que lá estava aproveitei para pesa-la, está com 12.42 kg, menos 400 gramas em relação à última vez que a pesei, as mudanças não foram muitas: Tirei umas coisas e meti outras, passei as rodas a Tubeless, troquei os pedais, mudei o selim e o suporte de bidon. Por outro lado passei a utilizar os avanços.A última alteração foi o prato pedaleiro XT de 44 dentes, que foi substituído por um de 42 da Race Face. Esta modificação não pelo peso mas sim pela melhoria de rendimento oferecida por esta relação. Fiz 1o kms a caminho de casa que foram sempre feitos com este prato com uma cadência mais elevada sem ter quere correr à pedaleira do meio.
Apesar dos poucos quilómetros, creio que esta modificação vai trazer melhorias significativas na eficiência das pedaladas a unica vantagem do prato de 44 dentes era em estradões a descer e em estrada, mas quantas vezes é que apanhamos estas condições???
Acho que todas as 29ers deveriam vir de serie com um prato de 42 dentes, fica aqui a dica para os outros 3 utilizadores de 29er que conheço em Portugal, o Marco, o Carlo e o Nuno!!!

quarta-feira, 27 de maio de 2009

O que fiz no fim de semana

No Sábado, alguns membros do Clube BTT do Juncal juntaram-se na casa do Pedro Belo para uma sessão de mecânica.
O Licíneo ficou com o quadro do Pedro e estiveram a monta-lo, o Zé andou de volta da corrente e eu contei com a ajuda Pedro para tentar endireitar o desviador torcido nas 24 Horas de Castelo Branco. No fim ainda tivemos direito a uma mini e umas torradas!
No Domingo, como não estava muito confiante com o desviador,não fui ter com o pessoal, enquanto eles foram para a Serra, eu fui até São Pedro de Moel.
Cheguei a beber várias vezes desta e outras fontes do Pinhal de Leiria, agora a água é considerada imprópria para consumo.
Acho que tenho uma boa pressão nos pneus (não sei qual é, foi a dedo) mesmo assim, nos paralelos... Vejam os raios!!!! A câmara do telemovel é que tem uma velocidade lenta.
Praia de São Pedro de MoelNa Praia Velha cruzei-me com o Carlo e o Edgar, acabei por acompanha-los até à Nazaré e depois até à Marinha Grande.Boa conversa e bom ritmo.
Depois de ter bebido duas garafas com pós, a falta de energia estava a tomar conta de mim, apesar de faltar apenas uns 7 kms para chegar a casa, parei numa estação de serviço, um gel e uma Coca-Cola fresca, num instante as baterias ficaram carregadas.

terça-feira, 26 de maio de 2009

100 Miles of Nowhere



100 Miles of Nowhere from Noodle on Vimeo.

100 Miles to Nowhere, é uma iniciativa do site Fat Cyclist, para recolha de fundos para a causa da lunta contra o cancro. A ideia foi juntar separadamente uma serie de ciclistas para fazer 100 milhas (160 Kms) nos rolos ou num circuito bastante pequeno. Muitos se juntaram a esta iniciativa .
Só quem já andou em rolos é que sabe...

Próxima prova

Já com a corrente nova montada na Gary Fisher, fiz-me à estrada e fui até à Martingança ver os trilhos para a prova do próximo fim de semana, as II- 3 Horas Resistência BTTFiz parte do percurso ao contrário, parece que vai haver muitos single tracks e em alguns sitios um pouco saltitante, quem quiser ultrapassar vai ter que esperar. Só falta inscrever-me. As mudanças teimam em saltar, tenho que levar a bicicleta a um profissonal...

segunda-feira, 25 de maio de 2009

140 km na Trek 1.7

Sexta-Feira, mais uma vez saio de casa sem ter uma ideia em concreto do itinerário a fazer, tenho alguns circuitos pensados, apenas tinha que escolher um. Caldas da Rainha passando por Foz do Arelho, foi o escolhido.
Ainda sem conta-quilómetros, fui pedalando sem ter grande noção das distâncias sabia que Caldas da Rainha ficava a 40 quilómetros de casa, a partir daí não pensei mais na distância mas sim em ir chegando aos ponto que queria passar.
9:20 Saio de casa em direcção a Alcobaça, primeira paragem Mosteiro de Alcobaça. Caldas não é muito longe, mas pelo Facho até há estrada nacional é quase tudo a subir.
10:50 Chego ao MacDonalds das Caldas da Rainha, como ainda estava fechado (abria ás 11:00) fui até ao Centro, passei em frente do Hospital Termal das Caldas da Rainha, grande confusão, é dia de mercado.11:20 MacDonalds, um Hamburger e uma Coca-cola, nada de batatas fritas e encher as garrafas. Hora de escolher a próxima paragem, Foz do Arelho ou Óbidos, talvez os dois?
Vila de Óbidos, havia muitos turistas e crianças. A última vez que aqui estive foi no natal com a minha filha. Ao sair de Óbidos virei à esquerda e segui para Arelho, mal feito, o que eu queria mesmo era ir para Foz do Arelho...
Manteiga de amendoim com mel.
Passei nesta estrada de brita 4 vezes, primeiro virei à esquerda, quando cheguei a Vau, vi que estava enganado, depois segui à direita, aí andei mais, cheguei até ao cruzamento para Pedras d'El Rei, foi aqui que tive que voltar novamente para trás. Nestes enganos, subi e desci muito.
Depois de voltar a Caldas da Rainha, tomei a direcção de Foz do Arelho. Não encontrei a tal ciclovia, devo ter tomado outro caminho, mas lá cheguei. Nova paragem para comer uma tosta mista, beber uma Coca-cola e encher novamente as garrafas, não convém parar muito tempo, já bastou estar à espera 1o minutos pela tosta.
Novamente na estrada, estou a curtir mesmo este dia comigo e a minha bicicleta. Há pessoal que não gosta de pedalar sozinho, eu aprecio ter companhia, mas também gosto de sair comigo mesmo.
As mãos já habituaram, vou alterando a posição das mãos no guiador, as pernas vão aguentando e nas subidas lá me levanto, não quero apenas fazer um passeio, quero também dar um calor ás pernas, as subidas também ajudam a aliviar a pressão no traseiro...
Acertei com o tamanho do quadro (56). O guiador, já está na posição que quero, o selim também, provavelmente as alterações não ficam por aqui, com o tempo logo se vê.
Que saudades da suspensão total da Gary Fisher... Ainda assim, a bicicleta absorve melhor do que eu pensava as irregularidades da estrada, será que é da forqueta de do tubo de selim em carbono? Da pressão dos pneus? São Martinho do Porto, já estou mais perto de casa.
Nazaré, não consigo evitar, tenho que passar pela marginal, apesar de ser dia de semana, o transito já é muito. Faltam 15 kms para chegar a casa, mas mesmo assim ainda bebo um Compal e mais uma metade de pão com manteiga de amendoim com mel. 16:20 chego a casa, com a satisfação de ter passado 7 horas a andar de bicicleta, com tantos enganos mais valia ter ido até Peniche, fica para a próxima, talvez com companhia para almoçar um peixe grelhado, talvez uns chocos...

domingo, 24 de maio de 2009

Bicross em Castelo Branco

- BMX nas AsMinhasPedaladas
- BMX na Federação Portuguesa de Ciclismo.
- OutRiding BMX Magazine
- BMX Tuga







Um destes dias tenho mesmo que me meter numa pista destas.
Pronto está bem,não sei voar como eles. Mas lá que queria voltar a pedalar que nem um doido com uma BMX queria.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Bomba nova, mas para devolver.


Comprei esta bomba SKS GERMANY na Decathlon hoje, fui para experimentar a encher mas acabei por dobrar a válvula que acabou-se por partir. O problema provavelmente foi meu, de qualquer modo, estou a pensar em troca-la.

No autocarro com Lance e Levi no Giro de Itália


Lance -- powered by http://www.livestrong.com
Hoje é o conta relógio, Lance é um dos favoritos, vai dar em directo no Eurosport.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Estava quase para ficar em casa...

... e andar uma hora no rolo, mas ás 21:00 horas saí porta fora, bem vestido(roupa quente) montado na de estrada.
Como não me lembrava da última bateria que tinha utilizado, levei as duas e ainda bem, 25 minutos depois de ter saído de casa, acede a luz vermelha como sinal de que estava quase a apagar-se, troquei ligo e segui viagem. Estava mesmo difícil de tirar os sapatos do encaixe, passava-se alguma coisa, como ainda havia luz dei uma olhadela aos sapatos.
Os cleats estavam cheios de lama seca. Continue, a andar mas como não queria cair e depois lembrar-me que devia de ter parado, parei logo, com a chave de casa, raspei essa lava e ficou melhor, ainda assim a pedalar o sapato mexe muito, talvez encontre alguns sapatos de estrada baratinhos e monte uns pedais de estrada, tenho ideia que pela forma dos cleat divide mais o contacto do sapato e fique mais agarrado.
Uma hora e 3o minuto de estrada, não faço ideia dos kms, ainda não tenho conta quilómetros. Rolei com mais cadência e fiz algumas series de 10 minutos a 85% FCM. As pernas não estavam cansadas, o que foi bom!
Tenho que fazer um plano de treinos para as próximas 3 semanas por causa das 24 horas de Lisboa.

Como é o BTT nos Açores e Madeira?

É a pergunta que eu faço aos que possam saber a resposta.
Será que há por aí algum Bttista das ilhas? Há por aí passeios e maratonas? Como é estar numa ilha? Estou certo que terão trilhos fantásticos, mas não sentem curiosidade de vir aqui experimentar novos trilhos? Já alguém veio ao continente participar em provas?
Contem coisas, se tiverem fotos daí façam um texto a descreve-las e enviem-nas, terei tdo o gosto em publica-las.

domingo, 17 de maio de 2009

Andei numa 26"

Após uma semana de novas sensações de roda fina, tempo de ir ter com o pessoal para mais uma volta domingueira, ponto de encontro, Bombeiros do Juncal. A minha bicicleta ficou em casa, porque tinha que aproveitar a oportunidade que tive para levar a Gary Fisher Roscoe III para os trilhos do Juncal!!!
All mountain, 12,5 quilos de bicicleta com 140 mm de curso e cheia de coisas com nomes todos Hi-Tec: Geometria G2, DRCV, ABV, E2; TUBE SHAPING, RP 24, etc. Como destas coisas não percebo nada, vejam os links, e o video do próprio Gary Fisher a explicar a filosofia desta bicicleta.
Este é o amortecedor Fox RP 23 de câmara dupla, mas o que quero mostrar são os tubos gordos e redondos, simplesmente belos!!!Direcção, trilhos de Chiqueda, perfeito para ver o que era esta bicicleta com 140mm de curso e uns pneus 2.4! Trilhos de pedra cheios de curvas, num constante sobe e e desce.
Hoje para além de experimentar as sensações da Roscoe, também pude testar, quase todas as bicicletas do Clube BTT do Juncal. Já que todos quiseram ver como era andar nesta bicicleta.Bem, já devem ter percebido que sou um entusiasta da Gary Fisher, portanto sou suspeito, mas o que é certo é que adorei andar nesta bicicleta.
Os pneus 2.4 e o curso de 140 mm deram-se a sensação de estar montado numa XR!!!
Mesmo a subir em pé, com a ajuda do RP23 para eliminar qualquer bombeio exagerado, foi imaginar uma linha e segui-la independentemente das pedras que se atravessavam no caminho a Roscoe "papava" tudo, parecia mesmo uma mota de enduro.
A descer e a curvar é onde deu as sensações mais fortes, que viragens!!! Fiquei com vontade de experimentar esta bicicleta numa prova dessas que há agora tipo avalanche, mas como tenho receio (é mesmo medo!) de saltos...
Esta bicicleta, é perfeita para quem gosta de sensações fortes aos fim de semana, com um peso de 12, 7 quilos, com o ajuste correcto na suspensão dá perfeitamente para alguém aventurar-se a fazer maratonas e divertir-se à grande!!!
Aprovadissima!!!
Mais coisas sobre a Roscoe:
- Biker Mag
- Bike Radar

sábado, 16 de maio de 2009

Back on the road - 2º Dia

Ainda sem conta-quilómetros, dei ontem a minha segunda volta na estradista. Volta de 1:30, nas mesmas estradas da volta que antecedeu as 24 Horas de Castelo Branco, mas com outra bicicleta.
Nos últimos meses andei na clássica Onibla. Estas voltas, serviram para ver se gostava mesmo de andar de bicicleta de estrada.
Porquê bicicleta de estrada?
Andar na estrada com uma BTT é perfeitamente possível, foi o que fiz nos últimos 3 anos, não tem mal nenhum, apenas custos. Custos de manutenção, transmissão, suspensões, pneus, etc. A bicicleta de estrada está sempre limpa, a transmissão está sempre afinada, sem lamas, nem pós, quer dizer, pelo menos comparando com uma BTT.
Depois são as sensações transmitidas. Fazer subidas em estrada com uma BTT, dava aquela sensação de peso e de arraste. Numa de estrada, é tudo mais directo e rápido.
Tenho por principio de não ir para fora de estrada sem companhia, portanto tinha mesmo que andar na estrada. Não estou a dizer que é mais fácil, pois com a falta de suspensão todas as irregularidades vão directamente para os braços e traseiro...Na volta de ontem deu para ver isso mesmo, ainda por cima tenho as mãos pequenas. Os braços e mãos têm que se habituar a estas novas posições, portanto, não me vou atrever a fazer mais de 100 kms nos próximos tempos.
Influências e inspirações.
Todos os dia, passo alguns minutos, nos EUA, no Brasil, na Austrália e Europa. Muitos sites, estão ligados tanto ao BTT como ao ciclismo de estrada, fui-me habituando a ver bicicletas de estrada, muitos dos ensinamentos para treino só dão para aplicar na estrada, onde encontramos estradas com pisos mais regulares, dando para fazer as tais séries, cadências e todas essas coisas de treinos... Aos poucos e poucos a vontade de andar de estrada, foi aumentando.

Fenómeno Lance.
Confesso que quando Lance Armtrong conquistou as voltas à França, não liguei muito a isso, mas no ano passado começei a acompanhar, o seu regresso com mais atenção. Bem como as Voltas, e o ciclismo e o ciclismo em geral. Comecei a interessar-me por ver como funciona uma volta por etapas, uma prova de um dia, as chamadas clássicas de um dia como Paris-Roubaix e Liège-Bastogne-Liége as minhas favoritas.
Ao ver estas provas na televisão, fiquei com vontade de ir para a estrada e rolar por aí,. Quem sabe um dia não vou de férias até França e em dois ou três dias passo pelas mesmas estradas e pavés (paralelos) que os grandes icons do ciclismo já fizeram nos 260 kms da Paris-Roubaix? Talvez subir Alpes D'Huez? Comparar o meu tempo miserável com os tempos de Marco Pantani, Lance Armstong e parar um pouco na estátua de homenagem a Joaquim Agostinho?
Talvez, um dia... Para já tenho o meu Tour des Grottes para fazer e será muito brevemente!!! Ainda por cima descobri agora mais uma subida para a Serra de Santo António pelo lado de Minde!!! Vai doer, mas será aquela dor boa!!!!
Bem, chega de conversa, a mecânica já aprovou, mais uma para limpar e meter a ferramenta a trabalhar, ainda bem que gosta destas coisas!!!Mais tarde falo da bicicleta propriamente dita, o modelo é o 1.7.
Estou cheio de vontade de fazer esta subida, mãos nas manetes, a sentir o sol a queimar ,de rabo levantado e o suor a cair!!!

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Back on the Road.

Voltei hoje a andar de bicicleta, estava sol apesar das nuvens e o vento soprou forte.Vem aí o verão, a praia já está a ser limpa.
Tinha pouco tempo, por isso fui fazer 30 kms a rolar sem fazer muita força, as pernas ainda estão cansadas, por isso não quero abusar. Hoje olhei para o calendário e dei-me conta que só faltam 4 semanas para as 24 Horas de Lisboa!!!
No último fim de semana gastei 11000 Kcal...

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Sabes Afinar as Mudanças?

A corrente partiu-se nas 24 horas porque as mudanças não estavam a entrar como deve de ser quase desde inicio da prova. A determinada altura, desejei ter uma Single Speed, 29er claro! Não sei se foi por isso que o dropout dobrou-se e a corrente partiu, o que sei é que tenho que saber como é que se afina uma bicicleta.



quarta-feira, 13 de maio de 2009

Outlet Bicimax, mas são só dois dias...


A Bicimax, vai nos próximos dias 6 e 7 de Junho abrir as suas portas para uma liquidação total dos stock dos artigos de 2006/2007. A oferta é realmente muita e haverá muitas oportunidades de negócio.
Serão descontos de 50 a 70% em bicicletas
, vestuário, componentes, acessórios, lubrificantes e consumíveis de marcas tais como:
TREK, GARY FISHER, FOX Racing Shox, BONTRAGER, BRIKO, NIKE Cycling, WRENCH FORCE, FINISH LINE, DT Swiss, TIME, ROLF, ICON, ORANGE, entre outras. Acho que também haverá oportunidades para quem gosta de Old School MTB.

Esta é também uma oportunidade de conhecer mais de perto o novo Show Room com todas as novidade 2009 da Trek, Gary Fisher, Bontrager e Northwave.

No Domingo de manhã haverá um passeio de bicicleta de estrada em que todos estão convidados a participar, havendo também ofertas de produtos Isostar.
No Domingo também vamos poder contar com a presença de José Azevedo (Ex-atleta da equipa de ciclismo DISCOVERY/TREK), Orlando Rodrigues (Vencedor da Volta a Portugal em bicicleta), Daniel Marques (atleta TREK na modalidade de Ori-BTT do Clube Orientação do Centro), Rui Perez (atleta BONTRAGER na modalidade de Bike Trial), João Rodrigues (Atleta BONTRAGER de Dirt). Eu também estarei por lá com a minha Gary Fisher Hi-Fi Pro 29 para quem quiser dar uma voltinha e falar destas coisas.

Falta dizer que a Bicimax é na Marinha Grande logo à entrada do lado direito, a menos de 4 kms da saida da A8. Há estacionamento para toda a gente e um multibanco na loja Jasmim.

Ver mapa maior Clicar no link para obter as direcções.


Mais informações aqui.