terça-feira, 12 de maio de 2009

As minhas 24 Horas em Castelo Branco

Considerem o primeiro post sobre este assunto a versão curta, e esta a versão longa. Poderia sintetizar mais este post, mas não sou capaz pois acho que alguns de vocês são como eu e gostam de saber todos os pormenores. Aqui vai:

Em 24 horas, muita coisa acontece e muita coisa se faz. 24 horas até dá para durar semanas!
As minhas 24 horas no último fim de semana, foram para pedalar em Castelo Branco nas 24 Horas BTT da Horizontes.Ás 9:30 chego a Castelo Branco, já há algumas equipas a preparar as bicicletas e os locais de apoio aos seus atletas. Levanto o chip e procuro um lugar para estacionar. O local para a assistência é feita dos dois lados da descida em direcção há meta. Estaciono o carro começo a preparar as coisas para a minha assistência, faltava a geleira com o almoço e umas latas do Touro Vermelho... Bolas!!! Quanto ao almoço, não havia problema tinha sandes, fruta, barras e gels, mas a cafeína era essencial para aguentar a madrugada mais ou menos acordado. Vejo o António Girão com um saco do Jumbo e pergunto-lhe onde é que ele tinha ido e lá fui eu a pé até ao centro comercial Allegro, serviu de aquecimento.As 11:30 aproximam-se, o Paulo Garcia dá algumas explicações sobre o funcionamento do chip de controlo, que estava numa pulseira presa ao braço direito e que tínhamos que passar por um tapete montado do lado direito, mais próximo do método utilizado as provas dos EUA, com a diferença de que lá o chip está preso à perna e os atletas têm que passar a pé por cima dos sensores. Passo protector solar pelo corpo, besunto os calções com vaselina e as partes de contacto com o selim com creme Barral (gesto repetido inúmeras vezes ao longo do dia...)
12:30 Horas
Partida, lá vamos nós, não penso nas horas que estão pela frente, ainda é cedo para isso, penso sim é que no fim de beber os 2 litros de bebida isotónica terei que parar para me reabastecer. Optei por inicialmente levar o CamelBak. Estava muito calor e queria fazer o menor numero de paragens possíveis. 19 minutos depois estava feita a primeira volta, começo a fazer cálculos para ver quantas voltas teria que fazer para conseguir o meu objectivo que era passar a barreira dos 300 kms. Depressa esse pensamento sai-me da cabeça.
Encontro o João Pina, entusiasta das Single-Speed, com quem já me tinha cruzado no forumbtt e nas 24 Horas de Viseu. Muitos podem pensar que participar a solo é uma aventura demasiado solitária, mas não, antes pelo contrário, aqui a pressa é outra, diferente dos que vêem por equipa que dão o seu melhor em cada volta. Eu e o Pina estávamos com mesmo ritmo, portanto foi fácil andarmos juntos, se um parava para abastecer, o outro continuava para mais tarde nos tornar a encontrar.
O sol está forte e a queimar, o pó é muito, mas de tempos caem algumas gotas do céu, estamos a chegar ás 6 horas de prova, para me prevenir passo pelo carro e agarro o colete impermeável.
O capacete e o sal do suor não jogam bem e a testa começa a doer, passo pelo carro e aplico Barral e ponho uma fita à tenista, não fico muito estilo", mas o fica problema resolvido
18:00 Horas
A oeste o horizonte vai-se transformando numa enorme massa densa azul escura. De repente o vento levanta-se e após uma rajada mais forte que lança as barreiras em frente ao centro comercial ao chão e após um enorme relâmpago, começa a chover! Eu e o João começamos a pedalar o mais depressa possível para tentarmos escapar, mas quando chego ao carro, já estou molhado... Abro a mala do carro e sento-me, não estava preparado para isto, agora a tenda teria sido útil! Aproveito para comer, procuro a roupa para mudar, já chove menos e não quero passar o resto do dia há espera que o sol volte, visto as calças e ponho as capas de neoprene nos pés. Tempo para mais mas voltas, agora sem pó mas com muita lama.
O CIRCUITO:
O circuito era curto com menos 2 quilómetros que que estava planeado, ficou com 5 ou 6 kms. Muitas voltas foram dadas, se cada volta durasse 20 minutos, numa hora daria para fazer 3 voltas, em 12 horas 36 voltas e em 24 horas, 72 voltas. O melhor tempo por volta foi de 13 minutos, mas seria bastante difícil manter essa velocidade (25 km/hora), isto se o circuito tivesse 5,5 kms. Não tinha muitas subidas pronunciadas, e descidas apenas duas ,uma a chegar à meta e outra a chegar ao túnel de acesso ao centro comercial Alegro, portanto a facilidade do percurso tornou-o difícil, ao não haver zonas dessem para descansar.O JANTAR:
A organização a pensar nos participantes que iam a solo e sem apoio deu-lhes prioridade no acesso ao jantar. Eu reunia essas condições, mas não foi preciso, comi: 2 pratos de sopa, um enorme prato de massa com carne picada, uma salada de fruta, muita coca-cola e um café!!! Um exagero?? Não, já estou habituado! Em casa, alguns dos treinos que faço no rolo em casa é depois do jantar a ver televisão!!! Estava farto de bolos, barras, gels, e bebida isotónica. Claro que as 2 voltas após esta bela refeição foram feita a um ritmo mais lento.
O jantar foi importantíssimo tanto fisicamente como psicologicamente.
De volta ao circuito torno a encontrar-me com o João Pina, montado na sua Skyde Single Speed sem suspensão... Gostava de experimentar uma SS mas daí a participar numa prova de 24 horas sem suspensão e com uma só mudança... Ui... Já tinha algum respeito por quem fazia longas distâncias em SS, depois de passar umas horas com o João esse respeito aumentou ainda mais!
12:00 Horas
Metade está feito, agora a contagem é decrescente, vou comendo o que tenho, com regularidade, tornei a levar batata doce, é uma comida natural cheia de hidratos de carbono naturais, fiz também um bolo instantâneo de Laranja do Pingo Doce, ainda lhe adicionei passas e duas colheres de pó de proteínas de Soja, o sabor não ficou mal de todo e o corpo agradeceu. A mesa a seguir ao controlo dos Chips este sempre com água fresca, bananas e laranjas, fui cliente e a laranja estava uma maravilha.
A chuva foi-se embora mas a lama ficou, a organização disponibilizou também uma zona de lavagem das bicicletas, como já se amontoava muita lama no quadro e transmissão, parei para a lavar. As voltas vão sendo dadas, a luz Sigma Karma é suficiente, mais uma vez levo-a no capacete, para mim a melhor solução para quem tem apenas uma luz, como as noite estão mais curtas e tenho duas baterias, andei a maior parte do tem em médios e máximos. As paragens limitavam-se a meter óleo na corrente, a comer qualquer coisa enquanto e preparava as garrafas(utilizei o Camelbak apenas durante a tarde). A cadeira só serviu para mudar de roupa.
Por volta das 2 da manhã aquele raio que estava estragado lembrou-se de ceder e pimba! Entalo-o na roda e chego ao carro encontro o raio e começo à procura de quem tenha uma chave de cassetes, a equipa com os toldos da Maxxis deu-me uma ajuda, mas a cassete nem se mexe, aí lembro-me que a roda tinha sido apertada num torno... Não deu para desmontar a cassete, tirou-se o raio partido e lá continuei. Volto para o circuito, agora com mais calma. Paro para ver as classificações, vejo que estou em 5º lugar!!! A ultima vez que tinha verificado a minha posição tinha sido há hora do jantar e estava em 9º, fico entusiasmado, mas com o sono e o cansaço dou voltas acima dos 25 minutos. Encontro o Girão, damos uma volta juntos, tinha estado a dormir 3 horas, na meta para ver as classificações e eu continuo. a conversa ajudou-me a manter acordado e alerta.6:00 Horas
O sono está forte, quer entrar na minha cabeça tento lutar contra ele cantando umas coisas sem nexo. Por duas vezes quase que me desequilibro, passo pelo carro lavo a cara bebo o último Red Bull como e encho as garrafas e sigo caminho, o sol está a romper no horizonte, só faltam 6 horas, é nesta altura que começo a pensar nas minhas voltas de Domingo, tento por-me nessa situação, imagino que estou de saida e vou ter com o pessoal, as horas vão passar depressa e em breve serão 12:00,
7:00 Horas
O sol já está alto e está mais calor, mudo de roupa e sigo para a meta, quando vou para passar o chip verifico que não o tenho, deixo a bicicleta alí e corro para o carro procuro no chão e não a encontro começo à sua procura na roupa, mas não a encontro, tiro as caixas do carro e não a encontro, começo a pensar que poderei ser desclassificado, logo agora, que estava tudo a correr tão bem. Estou quase a desistir quando o mesmo bttista que me ajudou com a cassete da roda, me disse para procurar novamente na roupa, foi que eu fiz, e encontrei-a, apanho a bicicleta e lá vou eu. Estou cansado mas não esgotado e após 20 horas de prova ás 8:00 faço a minha melhor volta 19:17 após duas voltas a tentar manter a minha posição, a 700 metro da meta parto a corrente e o desviador fica torto... Procuro na bolsa o desmonta corrente, tenho os elos de engate rápido, mas não mas não encontro a chave. O Carlos e a Elisabete Rouxinol passam por mim, não têm o desmonta corrente, mas diz que na próxima volta trazem-no, com a corrente no bolso e sigo o percurso a pé. Passa por mim o Ricardo Melo e o José Salvado, perguntam o que aconteceu, explico e dizem que posso voltar para trás, só tinha que anular esta volta. Foi o que fiz, voltei para trás, fui buscar o desmonta corrente, tenho o drop-out torto ainda tento endireita-lo mas não consigo.
10:oo Horas
Vejo novamente as classificações, o Girão e eu estamos com o mesmo número de voltas e o Carlos Rouxinol, está a duas voltas de mim. Tenho duas opções ou desisto e fico na 7ª posição ou arranjo a corrente e tento manter o 6º lugar. Acabo por tirar uns elos à corrente e passo a bicicleta a Single Speed, encho o amortecedor com mais ar e passo o Propedal para a posição 3. Três voltas depois, e após muitas paragens para tornar a meter a corrente, não faço ideia se consegui manter o 6ª posição ou não, por isso mesmo em cima das 12:00 ainda tento passar a zona da meta para mais uma volta , mas já não fui a tempo.Fui consultar as classificações, consegui manter a 6ª posição, por pouco. Valeu a pena não ter desistido quando a corrente partiu! Ainda fico por ali um pouco, não me apetece arrumar as coisas no carro, mas tem que ser, já no chuveiro, parece que o corpo já sabe que a prova acabou e já me pode transmitir a sensação de dor, dos braços até à ponta dos pés, tudo doí... A entrega dos prémios era no centro comercial Alegro, almoço uma bela picanha com o Girão e o Miguel Pinto Gomes, trocamos histórias e vamos para a cerimónia da entrega de prémios. Faço-me há estrada parando em todas as estações de serviço que apanho, na primeira estaciono e durmo um pouco, depois foi lavar a cara, vidro aberto e casa!

Solo Masculinos
1º Ricardo Melo 71 voltas 471,44km 19,63 km/h
2º José Salvado 69 voltas
3º José M. Pinto Gomes 67 voltas
4º José Perez 57 votas
5º António Girão 53 voltas
6º Eu 50 voltas 332 km - 14,64km/h
7º Carlos Rouxinol 49 voltas
8º Filipe Roberto 43 voltas
9º Luís Rosado 43 voltas
10º João Cordeiro 42 voltas

Solo Femininos
1ª Filipa Gonçalves 54 voltas 358 km -15,6 km/h
2ª Elisabete Rouxinol 50 voltas
Bianca Oliveira 38 voltas

As classificações aqui.

Fotos : Smile-Foto, Sandrocca 1, Sandrocca 2, Sandrocca 3, Varadero, Pifa.
As fotografias deste foram tiradas pela Sandra da Horizentes (Sandrocca)

Mais há para dizer, mas fica para amanhã!

4 comentários:

Anónimo disse...

Muitos parabéns o amigo está num momento de forma extraordinário parece - me que sem os percalços ainda alcançava a 4ª posição.
Continue que está no caminho certo.
Boas pedaladas, Pedro Diogo.

Bttcabecodasaguias.blogspot.com

ruiruim disse...

assim é que eu gosto! tudo explicadinho!
abraço!

o salineiro disse...

Hehehe, até eu fiquei cansado... de ler... mas ainda bem, está tudo muito bem explicado.
24 horas para pedalar? Livra!
Dia 31 vou às 3 h de resistência da Martingança, vai ser a minha primeira prova deste tipo e espero aguentar... felizmente são só 3 horas.

FRINXAS disse...

Boa camarada.

Descobri este blog por acaso e até vejo que também és dos "malucos" a solo. Bem vindo ao grupo. LOL

Já participei duas vezes em Monsanto, a 1ª vez em 9º e o ano passado em 11º, mas o ano passado a concorrencia era muito mais forte. No primeiro ano cometi uns erros, tanto nos treinos como no evento, mas depois até deu para melhorar bastante para o 2º.

Não usei o jantar, senão perdia 1h30 como alguns numa fila. Como ia bem de logística, já tinha um jantar á minha espera e elkas foram fazer uso da senha. LOL
E depois, só o facto de termos um bom apoio, podemos comer quando bem entendermos, porque não nos podemos deixar pelas horas normais de refeição porque num fim de semana de 24h é tudo menos normal para o que costumamos fazer normalmente, pelo menos, falo por mim neste campo amigo. Mas estou a gostar deste teu blog e do teu gosto por 24h.

Vou continuar a ler.

Forte "abrassoum"....